Compartilhe:

As doenças respiratórias prejudicam diretamente o bem-estar de qualquer pessoa, sobretudo, naquelas em que a oxigenação é reduzida, como no sono, por exemplo. Assim como o otorrinolaringologista, o dentista também possui um papel importante na busca ao combate desses problemas. A apneia do sono é um deles e no artigo vamos explicar como o profissional pode contribuir com o tratamento.

O que é a apneia do sono?

Provavelmente você já deve ter ouvido sobre a apneia do sono. Trata-se de um distúrbio do sono potencialmente grave, no qual a pessoa para de respirar, por alguns segundos, por diversas vezes enquanto está dormindo.

A apneia do sono obstrutiva pode ocorrer pelo bloqueio parcial ou total das vias aéreas durante o período do sono. Isso causa na pessoa uma diminuição ou interrupção total do fluxo de ar que ocorre através do nariz ou da boca, por um período mínimo de dez segundos.

O dentista pose ajudar a tratar a apneia do sono?

Em determinados casos, em se tratando de apneias leves e moderadas o dentista pode ajudar sim a tratar o distúrbio, e muitas vezes é a indicação mais adequada.

Tanto a apneia do sono, quanto o ronco são distúrbios respiratórios que podem acontecer ou não devido a problemas obstrutivos que estreitam a passagem de ar para o pulmão. Dessa forma, o dentista produz um tipo de aparelho ortodôntico que desloca a mandíbula para frente e faz a liberação da via respiratória.

Em relação ao nível do distúrbio, para conhecê-lo é necessário a realização de um exame denominado polissonografia. O diagnóstico do problema é realizado baseado em vários fatores, dentre eles, na quantidade de vezes, por hora, que a pessoa para de respirar durante o sono e na diminuição da quantidade de oxigenação.

A apneia é considerada normal quando ocorre até 5 eventos por hora. Entre o 5 e o 15 é considerada leve. Assim, de 25 a 30 é considerada moderada e acima desse valor, ela é grave e deve requer uma atenção maior.

O tratamento varia conforme o nível da apneia

De acordo com a Associação Brasileira de Odontologia do Sono (ABROS), existem vários fatores que provocam a apneia do sono. Logo, eles podem influenciar: a idade, o uso de sedativos, a genética ou fatores de risco.

Se a apneia for do tipo grave, e tiver alguma ligação ao excesso de peso, a chance de o paciente obter êxito utilizando somente o aparelho do dentista é menor. Em síntese, o recomendado é um tratamento feito com o acompanhamento efetivo de um nutricionista e um endocrinologista, para auxiliarem na redução da gordura.

Ao mesmo tempo, em situações mais graves, o tratamento mais eficaz é através do CPAP. Trata-se de uma máscara respiratória que estimula uma pressão de ar positiva e a leva para a faringe, mantendo-a aberta. Com isso, a pessoa pode deixar de roncar e consegue respirar melhor.

Em suma, a apneia do sono é um problema que requer muita atenção. O dentista pode ser uma opção bem eficaz no momento de tratar o distúrbio. Portanto, procure um profissional competente e que seja de sua total confiança.

Gostou do artigo? Continue acompanhando o nosso blog. Não sabe quando procurar um ortodontista? No nosso blog tem a explicação. Em caso de dúvida ou sugestão, entre em contato conosco!

Compartilhe: